Top

Recomendações nutricionais para idosos

Recomendações nutricionais para idosos

Com o controle das doenças infecto contagiosas e avanços da medicina para tratamento das doenças crônicas não-transmissíveis, a sobrevida da população aumentou e, consequentemente, a população idosa aumentou.

O envelhecimento é caracterizado por uma série de modificações fisiológicas e psicológicas, as quais estão extremamente relacionadas com o estado nutricional.

Assim, este contexto demonstra a importância da atenção e cuidado com o idoso, de modo a garantir bem-estar, qualidade de vida e saúde a esta população extremamente vulnerável e que está predisposta a diversas situações de risco. Deve-se atentar ao perfil psicológico e fisiológico, de modo a garantir um envelhecimento saudável a partir de um bom convívio social, prevenção e/ou controle de doenças e boa nutrição.

Existem diversos fatores que afetam o consumo alimentar e a nutrição em idosos. Alguns fatores estão associados ao processo natural de envelhecimento (diminuição do metabolismo basal, redução do olfato e paladar, má absorção, diminuição de sensibilidade à sede) e outros são influenciados por enfermidades presentes e por fatores relacionados com a situação socioeconômica e familiar.

São muito comuns problemas odontológicos, de deglutição, psico-geriátricos, uso de medicações e a disfagia (dificuldade para engolir), acometimento frequente na população idosa causado por consequência ao AVC ou a outras doenças, tais como Alzheimer, Parkinson, entre outras. Estes problemas devem ser tratados com cuidado, a partir da adaptação da consistência da dieta, a qual deve facilitar a alimentação. Deve-se sempre garantir o aporte calórico necessário a cada indivíduo, adequando a necessidade calórica à ingestão e consistência adequada.

Alguns nutrientes necessitam de maior atenção: vitamina B12, vitamina D e cálcio.

A população idosa costuma ter problemas com a disponibilidade de vitamina B12, sendo assim, deve-se investir no consumo de alimentos fonte ou na suplementação alimentar. A absorção de cálcio é possivelmente reduzida com a idade por problemas em relação ao metabolismo da vitamina D, diminuição de receptores da mucosa intestinal, redução da ingestão de alimentos fonte e exposição solar. As necessidades de cálcio e vitamina D aumentam de acordo com a faixa etária, assim, o incentivo ao consumo de leite e derivados magros do leite é essencial nesta população, de modo a garantir a consumo adequado deste nutriente e evitar o surgimento de osteoporose e possíveis fraturas ósseas.

Em relação às proteínas, é importante lembrar que esta é extremamente importante, uma vez que esta população apresenta grande diminuição de massa muscular e necessitam atender as necessidades necessárias para manutenção e/ou síntese proteica.

De modo geral, deve-se aplicar todos os conceitos de alimentação saudável para a população idosa, porém deve-se levar em considerações todos os fatores que influenciam o ato de se alimentar de modo a garantir um bom estado nutricional. As refeições devem ser um momento prazeroso e atividades educativas e motivacionais devem ser realizadas para garantir uma ingesta suficiente de energia e nutrientes.

Sem Comentários

Postar um comentário